Responsável:

Pedro Mansur Sesterhenn
Tel.: (48) 3665-7042
E-mail: pnsap@cidasc.sc.gov.br

 

DEFESA SANITÁRIA EM ABELHAS

 

Objetivo Geral:

Apoio à Apicultura e Meliponicultura Catarinense por meio das atividades pertinentes à Defesa Sanitária Animal, como educação sanitária, investigação epidemiológica, diagnóstico, monitoramento, controle e prevenção de pragas e doenças, visando manter as colmeias saudáveis, produzindo adequadamente em quantidade e com qualidade de produtos, e que possam contribuir com o relevante trabalho da polinização dos pomares, que é de suma importância para a agropecuária do Estado.

Objetivos específicos:

1. Cadastro atualizado;

2. Controle e prevenção de pragas e doenças com fiscalização da entrada de produtos através das barreiras sanitárias;

3. Atendimento a notificações de suspeita de doenças;

4. Encaminhamento de colheitas para laboratório para diagnóstico;

5. Vigilância de foco e do entorno;

6. Ações em conjunto com a Inspeção de Produtos de Origem Animal para Vigilância nos estabelecimentos de beneficiamento de Mel e Produtos das abelhas;

7. Educação Sanitária – através de participação em reuniões, esclarecimento sobre os trabalhos desenvolvidos pela Defesa Sanitária, importância da emissão da GTA, aplicação de questionários para diagnóstico educativo e produção de material informativo;

8. Monitoramento de propriedades para conhecimento da presença de pragas e doenças e a distribuição geográfica;

9. Estudos epidemiológicos das doenças das abelhas;

10. Emissão da Guia de Transito Animal;

11. Planejamento das ações do programa;

12. Identificação das Propriedades de Risco;

13. Capacitação técnica profissional e educação continuada em Sanidade Apícola e em Meliponicultura;

14. Conhecimento, proposição e revisão para a Sanidade Apícola e da Meliponicultura;

15. Interação com outras instituições afins para propor e desenvolver atividades em conjunto visando a manutenção e crescimento da Apicultura e da Meliponicultura no estado.

 

Histórico:
Na década de 60 a Apicultura e Sanidade Apícola de Santa Catarina estiveram sob a responsabilidade do departamento da Secretaria da Agricultura. Na década de 70 muda a estrutura física e passa a se chamar Instituto de Apicultura de Santa Catarina – IASC, com nome fantasia de “Cidade das Abelhas”. Na década de 80, funcionários da CIDASC; 1 Médica Veterinária, 1 Engenheiro Agrônomo e 1 Bioquímica ficam cedidos ao IASC onde realizavam trabalhos de pesquisa em comportamento Higiênico e Sanidade Apícola, capacitação de Apicultores, análises bioquímicas do mel, cera e própolis, e microbiológicos de doenças. No ano de 1991 o IASC passa a pertencer a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina – Epagri. E nesse período 4 funcionários da CIDASC, 1 Médica Veterinária, 2 Engenheiros Agrônomos e 1 Técnico Agrícola ficaram à disposição daquela empresa até o ano de 2002. No ano de 2008 o Programa Nacional de Sanidade Apícola – PNSAp foi Instituído pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, porém sua regulamentação está em fase de aprovação. Mesmo antes da aprovação do PNSAp houve a execução de algumas ações relacionadas ao programa.
No ano de 2011 foi estruturada e capacitada a equipe de Sanidade Apícola composta por 41 Médicos Veterinários na CIDASC, sendo 2 profissionais em cada ADR para atender as ações do programa.