Responsável:
Karina Diniz Baumgarten

Auxiliares Administrativos:
Sara Durante Felisbino
Jose Hugo Mendez Roca Lenz

Estagiário:
Arnaldo Lunardi Cargnin (Zootecnia-UFSC) 

E-mail: pncebt@cidasc.sc.gov.br

ATENÇÃO: Nova funcionalidade no SIGEN+ para os  Habilitados PNCEBT, RT de GRSC e Vacinadores RB-51, a partir do dia 02/03/2020.

INSTRUTIVO PARA UTILIZAÇÃO DO SALDO DE MIGRAÇÃO

INSTRUTIVO PARA UTILIZAÇÃO DA TELA “MOVIMENTAÇÃO DE INSUMOS E VACINAS”

Acesse o Manual acima para entender como irá funcionar  o controle de insumos e vacinas a partir de março. A primeira etapa é informar ao SIGEN+ seu saldo atual de insumos, para posteriormente o Relatório Mensal ser gerado pelo sistema a partir de suas informações de movimentação de insumos ao longo de cada mês.

VACINAÇÃO PARA BRUCELOSE COM AMOSTRA RB51

A vacinação é OBRIGATÓRIA em rebanhos com foco de brucelose. É autorizada a vacinação para brucelose de rebanhos bovinos  em Santa Catarina, apenas utilizando a vacina com amostra RB51. A vacinação com a amostra B19 é proibida no Estado.

As normas para vacinação estão citados na Portaria SAR n° 17/2012, e os procedimentos para esta atividade estão informados na Instrução de Serviço 007/2018, abaixo:

PORTARIA SAR 19-2017 – ALTERA ART. 8º DA PORTARIA SAR nº 17/2012

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO 007-2018 – Comercialização, utilização e controle da vacinação contra brucelose – RB51

Anexos em Word – IS 007 2018 – Cadastro de médicos veterinários para vacinação com RB51

Boas Práticas de Manejo Vacinaçâo – MAPA

Passo a Passo utilização tela Receituário Vacina RB51 Sigen+

MÉDICOS VETERINÁRIOS CADASTRADOS PARA VACINAÇÃO RB51:

Médicos Veterinário cadastrados – Vacina RB51

NOTIFICAÇÃO DE FOCOS PARA SECRETARIA DA SAÚDE:

Modelo de ofício para Brucelose

Modelo de ofício para Tuberculose

Protocolo Estadual de Manejo Clínico da Brucelose Humana

CONTROLE DE FOCOS

Produtos para desinfecção de utensílios e instalações para Tuberculose e Brucelose

VIGILÂNCIA PARA TUBERCULOSE BOVINA

Instrução de Serviço 011 DEDSA DEINP – Vigilância ativa em Abatedouros – Tuberculose

Requisição de exame de lesões bovinas encontradas em abate

VIGILÂNCIA PARA BRUCELOSE BOVINA

Instrução de Serviço 010 DEDSA DEINP – Vigilância ativa em Abatedouros – Brucelose

Formulário de Requisição – Anexo da IS DEDSA DEINP N 10 – Vigilância Ativa Abatedouros – Brucelose

ESTUDOS EPIDEMIOLÓGICOS DE PREVALÊNCIA DE BRUCELOSE E TUBERCULOSE BOVINA – Realizados pelo corpo técnico da CIDASC no ano de 2012, publicado pela Revista SEMINA em 2016.

  • Artigo: Prevalence and risk factors for bovine brucellosis in the State of Santa Catarina, Brazil (Prevalência e fatores de risco para brucelose bovina no estado de Santa Catarina, Brasil):

BAUMGARTEN, K. D.; VELOSO, F. P.; GRISI-FILHO, J. H. H.; FERREIRA, F.; AMAKU, M.; DIAS, R. A.; TELLES, E. O.; HEINEMANN, M. B.; GONÇALVES, V. S.; FERREIRA NETO, J. S. Prevalence and risk factors for bovine brucellosis in the State of Santa Catarina, Brazil. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 37, n. 5, p. 3425-3436, 2016. Suplemento 2.

  • Artigo: Prevalence and herd-level risk factors of bovine tuberculosis in the State of Santa Catarina (Prevalência e Fatores de Risco da Tuberculose Bovina no Estado de Santa Catarina):

VELOSO, F. P.; BAUMGARTEN, K. D.; MOTA, A. L. A. A.; FERREIRA, F.; FERREIRA NETO, J. S.; GRISI-FILHO, J. H. H.; DIAS, R. A.; AMAKU, M.; TELLES, E. O.; HEINEMANN, M. B.; GONÇALVES, V. S. P. Prevalence and herd-level risk factors of bovine tuberculosis in the State of Santa Catarina, Brazil. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 37, n. 5, p. 3659-3672, 2016. Suplemento 2.

SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DA BRUCELOSE E TUBERCULOSE EM  SANTA CATARINA

Prevalência Estadual de Brucelose e Tuberculose – Mapas

  • Pôster:  Avaliação do Teste Indireto de ELISA em Leite para detecção de Brucelose na Condição de Baixa Prevalência do Estado de Santa Catarina

BAUMGARTEN, K. D. Avaliação do Teste Indireto de ELISA em Leite para detecção de Brucelose na Condição de Baixa Prevalência do Estado de Santa Catarina, Brasil. II congreso de la sociedad iberoamericana de Epidemiología Veterinaria y Medicina Preventiva, 2014.

DOCUMENTOS PARA CERTIFICAÇÃO DE PROPRIEDADE LIVRE DE BRUCELOSE E TUBERCULOSE (IN10/2017)

*atualizado em Julho/2019

Instrutivo para Certificação e Renovação de Certificação de Propriedade Livre de Brucelose e Tuberculose

ANEXO I – REQUERIMENTO PARA CERTIFICAÇÃO DE PROPRIEDADE LIVRE DE BRUCELOSE E TUBERCULOSE – UEP única

ANEXO I – REQUERIMENTO PARA CERTIFICAÇÃO DE PROPRIEDADE LIVRE DE BRUCELOSE E TUBERCULOSE – várias UEPs

ANEXO-I-REQUERIMENTO-PARA-CERTIFICAÇÃO-DE-PROPRIEDADE-LIVRE-PARA-BRUCELOSE-E-TUBERCULOSE-Propriedade-Vazia-1-UEP

ANEXO II -INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES DO PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO DE PROPRIEDADE LIVRE DE BRUCELOSE E TUBERCULOSE

ANEXO III RELATÓRIO DE CERTIFICAÇÃO DE PROPRIEDADE LIVRE DE BRUCELOSE E TUBERCULOSE

ANEXO IV REQUERIMENTO PARA RENOVAÇÃO DE CERTIFICADO DE PROPRIEDADE LIVRE DE BRUCELOSE E TUBERCULOSE – UEP única

ANEXO IV REQUERIMENTO PARA RENOVAÇÃO DE CERTIFICADO DE PROPRIEDADE LIVRE DE BRUCELOSE E TUBERCULOSE – várias UEPs

ANEXO V – REQUERIMENTO PARA RECUPERAÇÃO DE CERTIFICADO DE PROPRIEDADE LIVRE PARA BRUCELOSE E TUBERCULOSE

LISTAGEM DE PROPRIEDADES CERTIFICADAS LIVRE DE BRUCELOSE E TUBERCULOSE

Propriedades Certificadas Livre de Brucelose e Tuberculose

MAPA DE PROPRIEDADES CERTIFICADAS LIVRE DE BRUCELOSE E TUBERCULOSE

DOCUMENTOS PARA HABILITAÇÃO DE MÉDICO VETERINÁRIO AUTÔNOMO NO PNCEBT

Instrutivo para Habilitação de Médico Veterinário no PNCEBT em Santa Catarina

Habilitação no PNCEBT – Somente para Tuberculose

Habilitação no PNCEBT – para Brucelose e Tuberculose

Os documentos devem ser preenchidos eletronicamente, assinados pelo médico veterinário requerente e entregue a via original com as cópias (legíveis) dos Certificado de Curso, Carteira  e Certidão Negativa do CRMV na Unidade Veterinária Local (UVL) da CIDASC.

A qualquer momento que houver alteração do endereço da sala de exame, ou do local de estocagem das tuberculinas e arquivamento dos documentos referentes ao PNCEBT, o médico veterinário habilitado deverá informar o escritório local da CIDASC sobre esta mudança emitindo a Declaração abaixo, gerando uma nova vistoria oficial no local.

Sugestão de Livros de Protocolo para Sala de Exame de Brucelose e Controle de Certificações e Focos

Declaração de Alteração de Endereço – méd habilitado PNCEBT

Declaração de Inclusão de Endereço – méd habilitado PNCEBT

Por interesse próprio o médico veterinário habilitado pode solicitar cancelamento da Portaria de Habilitação emitindo o documento abaixo.

Solicitação de Cancelamento de Habilitação

Caso o habilitado não esteja exercendo as atividades do PNCEBT mas queira manter a Portaria de Habilitação, deverá entregar mensalmente o Relatório de Utilização de Antígenos e Tuberculinas, mesmo que sem atividade no período. A omissão na entrega dos relatórios resultará em desabilitação compulsória pelo órgão oficial conforme preconizado pela IN n°30, de 07/06/2006.

INSTRUÇÃO NORMATIVA SDA n°30, de 07/06/2006

MÉDICOS VETERINÁRIOS HABILITADOS – PNCEBT

Médicos Veterinários Habilitado no PNCEBT/Santa Catarina

RELATÓRIO DE UTILIZAÇÃO DE ANTÍGENOS E TUBERCULINAS – MODELO 2017

RELATÓRIO DE UTILIZAÇÃO DE ANTÍGENOS E TUBERCULINAS – IN SDA 30 ATUALIZADO

DISTRIBUIÇÃO DE ANTÍGENOS / TUBERCULINAS / VACINA PARA BRUCELOSE – amostra RB51

CONTATO DISTRIBUIDORAS antígenos-tuberculinas-vacina RB51

DIAGNÓSTICO COMPLEMENTAR DE TUBERCULOSE – LEGISLAÇÃO ESTADUAL

PORTARIA SAR nº 34, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2017 – Institui o exame de ELISA para tuberculose em SC

Lista de laboratórios autorizados para o diagnóstico sorológico da tuberculose animal (ELISA):

Laboratórios

PROJETOS DE PARCERIA

Avaliação de estratégia multidiagnóstica para o saneamento de propriedades com tuberculose bovina – EMBRAPA

Portaria SAR 07, de 07/02/2017

Formaliza participação da SAR e CIDASC no projeto de pesquisa da EMBRAPA denominada “Avaliação de estratégia multidiagnóstica para o saneamento de propriedades com tuberculose bovina”